Bombo Legüero de alta e média qualidade – tamanhos pequeno, médio, grande e extra grande


O bombo legüero é um instrumento da família dos membrafones, popular no folclore argentino e originário da província de Santiago del Estero. Chama-se legüero pelo seu som intenso que se ouve no campo a muitas léguas de distância, uma distância que equivale a 5 km. O músico que se especializa neste instrumento chama-se bombisto.


Opções de material (a altura varia de 45 a 50cm em proporção ao diâmetro):

No tronco ceibo oco, de alta qualidade :

  • PEQUENO: 30-33 cm de diâmetro
  • MÉDIO: 35-37 cm de diâmetro
  • GRANDE: 38-40 cm de diâmetro
  • EXTRA GRANDE: 41-43 cm de diâmetro

Em madeira económicas

  • PEQUENO: 30 cm de diâmetro x 44 cm de altura
  • MÉDIO: 35 cm de diâmetro x 47 cm de altura
  • GRANDE: 40 cm diâmetro x 50 cm de altura

IMPORTANTE: O CUSTO DE ENVIO DEVE SER ADICIONADO AO PREÇO DO INSTRUMENTO. OS EMBARQUES PARA FORA DO PAÍS DE ORIGEM (ARGENTINA) SÃO FEITOS COM SERVIÇOS COMO DHL. 

MAIS INFORMAÇÕES E COMPRA

Descrição

Bombo Legüero de alta e média qualidade

Tamanhos pequeno, médio, grande e extra grande – Couros de cabra ou bode


PREÇO: CONSULTAR


FORMAS DE PAGAMENTO


Bombo Legüero

Membranofone, Percussão
Argentina, América

O Bombo Legüero pertence à família dos membranofones; Consiste em dois remendos ou membranas de couro cabeludo presos a uma caixa ou cilindro de madeira por tiras de madeira. Tanto os aros quanto as cabeças são golpeados com marretas embrulhadas em couro chamadas bastões ou baquetas.

O corpo é produzido a partir de troncos ocos. Geralmente eibo. A madeira não deve estar completamente seca, para facilitar o trabalho do artesão. Hoje os tambores de ceibo são os mais procurados, mas devido ao seu alto custo (a árvore leva vários anos para atingir o diâmetro necessário para a construção), são muito difíceis de obter. Por isso, muitos artesãos recorrem a chapas de compensado de guatambú e cedrillo e, usando várias camadas, atingem uma espessura semelhante à de um tronco de ceibo, embora logicamente o som não seja o mesmo.

Para as membranas utiliza-se couro curtido de ovelha ou cabra, e no interior do país argentino foram vistos alguns tambores feitos com couro da barriga de burro, couro do nascituro (um bezerro ainda não parido extraído da barriga da vaca), corzuela (espécie de veado típico do interior argentino), e em alguns pequenos tambores (isto é: não propriamente legüeros), couro de gato selvagem e cobra. É claro que nas cidades é difícil conseguir qualquer uma dessas manchas exóticas, bem como mantê-las em boas condições (devido à umidade).
É aconselhável usar um remendo de cabra e um remendo de ovelhas no mesmo bumbo para levar o instrumento a dois sons diferentes.

As argolas são feitas de madeiras duras como o palo blanco e o guatambú, o que dá maior volume e duração ao golpe das baquetas com que é golpeado.

O couro cru (cor branca) é usado para tientos, mas o mais usado é o couro de sola (cor marrom). Tientos de couro cru trançado anteriormente foram usados.

As Templaderas são geralmente feitas com pedaços de couro dos remendos ou com pedaços de tientos.

O bombo legüero teve outros usos além do musical: para transmitir sinais de informação e até como elemento de medição, com efeito, tradicionalmente na NOA e NEA (especialmente na província de Santiago del Estero) os limites das terras do meeiros gaúchos até onde se ouvia com muita força o som desse tipo de bumbo batido (ou seja, em condições favoráveis, mais de duas léguas).

Fonte: Instrumundo


VÍDEOS 



+ INFORMAÇÃO

    Avaliações

    Não há avaliações ainda.

    Seja o primeiro a avaliar “Bombo Legüero de alta e média qualidade – tamanhos pequeno, médio, grande e extra grande”

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Você também pode gostar de…